segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

FEBRIL

Esse post é um pouco diferente dos outros que existem nesse blog. Há tempos pensava em fazer algo do gênero: mesclar poesia com comida. Com essa primeira experiência, percebi que uma pode sim inspirar a outra. Nada de antropofagia, pelo menos por enquanto.

Minha grande amiga multifacetada (não achei outro termo pra descrevê-la) Cecília Borges, editora de um blog que é obrigatório acompanhar, http://www.cecilia-borges.blogspot.com/ , propôs esse desafio: que eu me inspirasse em uma poesia dela e criasse uma receita.

O resultado foi tão surpreendente que espero repetir a dose muito mais vezes! O prato seguiu à risca a interpretação que fiz da poesia e causou uma explosão de sentimentos na boca e no corpo, suor e doçura, vontade de não parar de comer, entusiasmo e um enorme prazer quando chega-se aos 40 graus de febre!

A poesia:

Febril

como é bom saber que
logo vou te ver
meu sapato listrado pode saltar
entre turistas chineses engraçadinhos
e compromissos
só pra te encontrar
nesse bairro de pronúncia gostosa:
te vejo no leblon, amor, leblon.
parece que sinto arrepio toda hora
mesmo no dia mais quente do ano
como falaram na tevê
porque me olhando de longe
andando pela ataulfo dessa maneira febril
fico metade linda, metade boba
mas é o amor, leblon, é o amor -
e eu sei.



O prato:


Febril

Ingredientes: 300g de pernil de porco em cubos
1 dente de alho
1 pimenta dedo de moça, cortada sem semente
100gs de repolho cortado em tiras
meia manga firme cortada em cubos
curry, sal, shoyu à gosto
15ml de sakê
1 folha de limoeiro
75ml de leite de coco
óleo ou azeite
5 folhas de hortelã


Modo de Preparo: Em uma wok (pode ser em frigideira normal), coloque o óleo em fogo alto, refogue a carne com o curry, junte o alho, a pimenta, deixe dourar o alho, coloque a folha de limoeiro rasgada, deixe subir o cheiro, acrescente o repolho. Flambe com o sakê. Acrescente o shoyu. Coloque o leite de coco e ao levantar fervura, desligue e acrescente o hortelã rasgadinho. Sirva na hora.
Acompanha arroz de jasmin.





Vamos ao porquê dos ingredientes, a seleção dessa mistura (sei que depois que escrever lembrarei de mais detalhes):

Os “turistas chineses engraçadinhos” me remeteram à carne de porco picadinha. Diferente das aberrações que eles comem, pra nós, um porquinho é lindo.
Pensei na pimenta e no curry representando o calor, não só do dia, do sol, mas também o ardor que vem do amor, contrastando com a doce manga, a suavidade do hortelã e da folha de limoeiro, interpretando principalmente o trecho “parece que sinto arrepio toda hora /
mesmo no dia mais quente do ano”.
Pensei no repolho cortadinho como as nuvens do Rio.
“Metade linda, metade boba”, mais uma vez, essa aparente ‘confusão’ torna-se sabor com a pimenta e a manga
O leite de coco dá ênfase aos temperos.


Aproveito pra avisar que o segundo livro da Cecília Borges está saindo do forno pela editora Éblis em meados de Março.

Abraços febris!!!!

8 comentários:

Antonio disse...

boa receita, mas desde quando universitário e bêbado faz esses pratinhos de restaurante caro, q vem 3 cubos de carne, 2 de manga, uma folhinha verde em cima e duas pimentas? bota um pratasso de arroz, feijao, bife e batata frita. massa o blog. abraço

Cecília Borges disse...

honradíssima!

Leonardo disse...

Hahahahaha.
Faz um prato de kibe cru! ahn ahn... Kibe.

Realmente um Universitário não faz isso ai não... mas é por conta da poesia kra... o lance ai não é o prato.

Só pra nao perder a mania de crítica, faltou uma metade de cada jeito, a boba e a linda.... que na verdade são a mesma coisa, comestiveis.

Ps. Me encomende uma "Wok" por favor.

Cecília Borges disse...

Boa, Leonardo.
A boba de entrada, a linda como prato principal, ahn?!
rs!

Ana Cecília Leite disse...

hmm...deu até febre de ler o prato e degustá-lo com os olhos... o dia que me aventurar na cozinha as receitas daqui serão minhas cobaias.
adorei a parceria, dois queridos gerando algo que faz bem pros olhos, pro 'estame' e pra mente.
=*

Schwartz disse...

Vou contratar esse cara!
Cecília, maravilha.

quandonãopodenãopode disse...

muito loca a idéia de se inspirar nas poesias
produzam mais disso..
e aproveita e faz uma inspirada no bdc aeuhuhaeuhaeae
e noiz

Rafakun disse...

Ficou foda Luiz, vou tentar fazer algum dia desses >:D

 
Locations of visitors to this page